VOTO CONSCIENTE Cheiros do campo nas receitas da vovó

Leia AQUI

2 de agosto de 2015

Limpando os pulmões com os ingredientes da vovó

 Sabe aquela tosse com muito catarro? Era curada com os  chás 

e o conhecimento da vovó.  Essas receitas foram passando de boca em boca, 

e hoje são transmitidas por e-mail. 




Como limpar seus pulmões com a sua dieta

Doenças pulmonares e problemas respiratórios associados são um problema crescente. Todos podemos manter nossos pulmões saudáveis não fumando, nos exercitando regularmente e evitando a poluição sempre que possível. No entanto, uma maneira menos conhecida para cuidar dos nossos pulmões é a mudança na nossa dieta. Estudos têm demonstrado que os alimentos que comemos afetam nossos pulmões, e que alguns podem até mesmo ter um impacto positivo sobre a função pulmonar. Veja quais!

1. Vegetais crucíferos - Estes são os vegetais da família do repolho. Eles possuem grandes quantidades de antioxidantes, que ajudam a limpar o corpo de toxinas prejudiciais. Eles também contêm glicosinolatos - compostos químicos que que ajudam a inativar agentes cancerígenos e proteger as células contra danos. Os melhores exemplos de vegetais crucíferos são brócolis, couve-flor, repolho e couve de bruxelas.
2. Carotenóides - Este pigmento antioxidante de cor laranja reduz o risco de câncer do pulmão. Uma maneira de reconhecer um carotenóide é pela cor: os carotenóides são normalmente encontrados em frutas e legumes com tons de laranja, vermelho ou amarelo. Por exemplo, batata-doce, abóbora, cenoura e damascos são alimentos com quantidades elevadas de carotenóides. As cenouras são particularmente boas para os pulmões, pois também contêm beta-caroteno, que se converte na vitamina A, que reduz significativamente a probabilidade de se desenvolver asma.

3. Ácidos graxos Ômega-3 - É bem sabido que este ácido graxo é bom para sua saúde geral. O que é menos conhecido é que ele beneficia particularmente os pulmões. Ele é encontrado no peixe, castanhas e sementes de linhaça, e pode melhorar a função pulmonar e aumentar a capacidade do pulmão, reduzindo a inflamação das vias respiratórias.

4. Alho - Ele é essencial para manter um sistema imunológico saudável, pois é um anti-inflamatório natural. Recentemente, um estudo da revista Cancer Prevention Research revelou que comer alho cru duas vezes por semana diminui pela metade o risco de desenvolver câncer de pulmão. O alho também tem altos níveis de alicina, um antibiótico natural que combate infecções bacterianas e fúngicas nos pulmões.
5. Gengibre - Essa raiz é um poderoso antioxidante e anti-inflamatório natural que pode limpar os pulmões de qualquer tipo de poluição persistente. O gingerol reduz o excesso de muco sendo produzido, enquanto o composto 6-shagaol evita que os brônquios encolham. O gengibre também relaxa os tecidos nos músculos que revestem os pulmões, facilitando a respiração de pessoas com asma. Fatias de gengibre podem ser adicionadas ao chá, e também fazem deliciosos biscoitos.

6. Magnésio - Alimentos como sementes, castanhas ou grãos são ricos neste mineral. O magnésio é um anti-inflamatório natural que aumenta a capacidade pulmonar e melhora a eficiência do processo respiratório. É recomendado para asmáticos e para as pessoas com doenças pulmonares obstrutivas crônicas.  Conheça os sintomas de deficiência de magnésio no seu corpo.

7. Romã - Essa fruta é nutricionalmente densa em antioxidantes e antocianinas, dois nutrientes que combatem o câncer. Estudos revelam que essa combinação é particularmente eficaz em retardar o crescimento e a disseminação de células cancerígenas prejudiciais. As sementes da romã adicionam um um ótimo sabor à salada ou podem ser usadas para fazer um suco delicioso.
Isto também pode lhe interessar:

8. Vitamina C - Essa vitamina é encontrada abundantemente em goiabas, laranjas, kiwis, e pimentões. Uma dieta rica em vitamina C ajuda seus pulmões a transportar oxigênio pelo corpo. Estudos sugerem que, com o consumo regular de vitamina C, a saúde dos seus pulmões irá deteriorar-se a um ritmo mais lento e você vai estar menos propenso a desenvolver doenças respiratórias, como bronquite e asma. Ela também previne a ocorrência de doença pulmonar obstrutiva crônica, que provoca falta de ar.
9. Abacaxi - Abacaxis são ricos em bromelina, uma enzima que reduz a inflamação dos seios da face. Ela é também um tratamento natural de edemas pulmonares - uma condição que previne que fluidos sejam drenados adequadamente dos pulmões, resultando em falta de ar. Pesquisas mostram também que a ingestão de alimentos ricos em bromelina reduz a inflamação de glóbulos brancos em até 85%.
10. Água - OK, nós sabemos que a água é sempre recomendada para uma boa saúde, mas muitas vezes é também o melhor remédio natural para os seus pulmões. A água ajuda seu processo circulatório, mantendo seus pulmões suficientemente hidratados e prontos para eliminar toxinas. 


Clique aqui para ver ainda mais motivos para beber mais água.

Créditos: www.healthyandnaturalworld.com


Leia mais em: http://www.tudoporemail.com.br/

content.aspx?emailid=3883&memberid=79424

Se você fuma, o seu pulmão envelhece mais rápido.

Leia AQUI

2 de junho de 2015

Café e torrada, para espantar o frio

A torrada é um dos lanches mais versáteis, deliciosos e práticos para o café-da-manhã ou para o lanche. 

Na minha adolescência, minha mãe fazia torradas em uma frigideira. Entre duas fatias de pão, lambuzadas com manteiga, ela colocava o queijo e, quando tínhamos, também presunto. Ou linguiça picada com as mãos. Com uma tampa menor que a frigideira, o pão era pressionado, até dourar do lado de baixo. Depois era virado para dourar do outro. 
 Pronto. Estava feita a torada. 
 A frigideira para fazer as nossas  torradas era a única opção.

Hoje temos práticas sanduicheiras, com valores bem acessíveis,  que facilitam o trabalho e nos permitem fazer outra coisa enquanto o eletrodoméstico trabalha.

Usar uma sanduicheira pode facilitar muito mais o nosso trabalho. Será bem mais simples pois  não precisaremos ficar prestando atenção no pão. Ela  
 tem o timer que avisa quando ficou pronto. 
Se quisermos apenas uma fatia de pão torrada, a colocaremos  na sanduicheira e esperamos até que ela   fique bem tostada; nesse caso não precisa passar manteiga. Também não precisamos virar o pão,  pois a sanduicheira tosta por igual os dois lados.


E se a torrada for saboreada com um café expresso, feito na sua cafeteira, melhor ainda!




 Veja mais ofertas AQUI.


Oferta com tempo limitado, com até 50% de desconto, você encontra AQUI

24 de abril de 2015

Vovó não tinha esteira para tirar a dor

A dor lombar afeta cerca de 80% da população adulta ao redor do mundo e é sentida desde o tempo dos nossos avós... bem antes deles.
Lembro que minha mãe capinava o páteo, para plantar e/ou cuidar dos legumes e frutas que embelezavam o nosso quintal e que depois iam para a nossa mesa, transformados em uma deliciosa refeição. Essa tarefa deixava-a com “dor nas costas”.  Naquela época, uma "esticada" na cama, aliviava o cansaço. 
Mas o corre corre dos tempos modernos intensificaram a dor.  Então, surgiram novas formas de alivia-la.  
Existem muitas causas para as dores lombares e várias maneiras simples de eliminá-las.
A gravidade causa uma sobrecarga aos músculos, ligamentos e discos intervertebrais da região lombar, levando a uma das causas mais comuns de dores lombares: a compressão discal. Uma solução é optar por deitar-se quando possível. Neste caso, você pode usar a esteira massageadora com função de aquecimento, para amenizar a sua dor lombar. A esteira possui cinco modos diferentes de massagem, indicada para redução do stress;dores lombares; cervicais e musculares. Com programação para desligar o equipamento automaticamente, e intensidade de vibração ajustável., ela também pode ser usada na cadeira, sofá ou poltrona.




Clique no link

Veja outras ofertas: http://goo.gl/RJ56OL

Esteira Massageadora Vibratória Luxo 8 motores - Função Aquecimento 5 modos de massagem Relaxmedic Bivolt

https://www.magazinevoce.com.br/magazinebeluarte/p/esteira-massageadora-vibratoria-luxo-8-motores-funcao-aquecimento-5-modos-de-massagem-relaxmedic/12970/

20 de abril de 2015

Você não precisa sovar para ter um pão caseiro fofinho

foto de mimoscarolsena.com.br
Lembro dos pães fofinhos, cheirosos e gostosos que comia quando criança. Geralmente eram feitos em fogão a lenha.

Já tentei fazer pão mas não acertei. Para que ele fique macio, é necessário sovar e, como tenho tendinite e outras “ites” fica difícil, pela dor que sinto nos braços e nas costas.

Hoje em dia há uma infinidade de tipos de pães. Pão integral, de leite, de centeio, pão italiano, o francês, o português, mas nada igual ao pão caseiro recém saído do forno... ou de uma boa panificadora. Este último, para que fique bom, é necessário colocar, literalmente, a mão na massa, que deve ser muito bem sovada (de dez a vinte minutos) e deixá-la crescer duas vezes. Sove e deixe crescer de 40 a 50 minutos e depois sove mais um pouco;  modele o pão e deixe crescer mais uns 35 minutos e depois asse. 


Saiba como sovar massas

O ato de sovar a massa é essencial, pois sem ele o glúten não consegue se desenvolver e os gases liberados pelo fermento não se distribuem uniformemente. Logo, se você quer um pão fofinho ou esponjoso - em outras palavras, delicioso -, clique no link e leia este artigo, que traz dicas de como sovar a massa tão bem quanto um profissional. Ou compre uma panificadora

Sem a panificadora, você deve:

Sovar a massa. Dobre-a no meio e empurre-a para a frente usando a parte mais forte da palma das mãos, até que a massa fique achatada. Dobre-a no meio de novo e empurre-a para a frente novamente. Repita esse processo por 10 minutos ou pelo tempo que a receita pedir.
  • O processo de trabalhar a massa deve ter um ritmo constante. Não sove a massa devagar; ela deve ser trabalhada rapidamente para que não haja um intervalo entre uma sova e outra. (eu não aguento esse movimento!) 10 minutos sovando é uma tarefa nada fácil do ponto de vista físico - é um exercício e tanto! Caso você se canse no meio do caminho, não deixe a massa desandar - peça a alguém que continue a sova-la até você recuperar o fôlego.
Fique de olho na textura da massa. No começo ela fica grudenta e cheia de grumos, mas após 10 minutos sendo trabalhada ela fica lisa e uniforme. Ela deve ficar elástica e com a superfície lisa. Se ainda houver grumos, a massa ainda precisa de um pouco mais de sova.

Veja todo o procedimento da sova, AQUI
Ufa! Você aguenta sovar e sovar? Eu não!

Por isso, pretendo comprar uma panificadora elétrica! E para decidir e não me arrepender depois, fiz algumas pesquisas que repasso para vocês, minhas queridas leitoras.



A máquina é automática e faz tudo. É só colocar os ingredientes que ela se encarrega de todo o trabalho, bate a massa, descansa e assa. Garante pão quentinho e nutritivo a qualquer hora. Muito fácil fazer, segundo vídeos que assisti, pois basta colocar a massa, programar e depois saborear o pão fofo e quentinho,  feito em casa.
Ela também faz uma variedade de massas, pão de centeio, pão francês, pão de cenoura, pão de nozes, panetone, cuca, geleia de morango, geleia de laranja, focaccia, entre outras delícias e tem a função timer

Você programa a hora em que o seu pão estará pronto. A máquina pode ser programada com até 13 horas de antecedência. É ideal para você ter o pão quentinho ao acordar ou quando voltar do trabalho.
Tem ajuste para regular a cor do pão e permite selecionar a cor do pão de sua preferência – pão claro, médio ou escuro.
Tem luz indicadora de funcionamento. Uma luz vermelha acende quando o produto está ligado. Você pode colocala perto de outros aparelhos, pois não a parede externa.

►Verifique estes vídeos, postados por pessoas que já usam a panificadora

Como programar a Panificadora Britânia







Vamos fazer esfiha na Maquina de Pão?

Pão de leite feito na panificadora da britânia


Manual


Na panificadora você também pode fazer o seu pão sem glúten.

Faça um pão gostoso, sovando e sovando!

ou...  seja esperta e clique AQUI


Saiba como sovar massas


O ato de sovar a massa é essencial, pois sem ele o glúten não consegue se desenvolver e os gases liberados pelo fermento não se distribuem uniformemente. Logo, se você quer um pão fofinho ou esponjoso - em outras palavras, delicioso, este artigo traz dicas de como sovar a massa tão bem quanto um profissional.


1 - Prepare a superfície onde a massa será trabalhada. O ideal é uma superfície lisa e que fique na altura da sua cintura. Seja um balcão, mesa ou outra superfície plana e estável (ou seja, bem fixada no chão), você deve limpá-la com um pano umedecido em água morna misturada a um pouco de detergente. Termine com uma toalha limpa e seca. Polvilhe a superfície com farinha para que a massa não grude nela.
  • Algumas receitas pedem para que você sove a massa dentro de uma tigela grande. Nessas receitas, a massa deve ser trabalhada por apenas 1 ou 2 minutos. Para receitas que exigem mais do que 3 minutos de sova, o melhor é trabalhar a massa em uma superfície lisa.
  • Caso você não queira sujar a superfície com a massa, forre o local com papel manteiga polvilhado com farinha antes de começar a trabalhar
2 - Misture os ingredientes para a massa. Para fazer o pão comum, normalmente usa-se farinha, fermento biológico, sal e água. Use um copo medidor para acertar as quantidades da receita e despeje tudo em uma tigela grande. Use uma colher de pau para misturar tudo.
  • Continue misturando os ingredientes com a colher até a massa atingir o ponto certo. Ela estará pronta para ser sovada quando não houver mais farinha grudada na tigela.
  • Outro sinal de que a massa está pronta para ser sovada é quando fica difícil de continuar misturando com a colher.


3 - Coloque a massa sobre a superfície a ser trabalhada. Passe-a da tigela direto para a mesa que você preparou para o trabalho. Ela deve parecer uma bola meio grudenta. Hora de literalmente arregaçar as mangas e fazer a mágica acontecer.

4 - Lave as mãos antes de sovar a massa. É importante lavar e secar bem as mãos, já que estarão em contato direto com a massa. Tire anéis, pulseiras, relógio ou outros acessórios que possam entrar em contato com a massa. Use um avental para não acabar com as roupas todas sujas de farinha.

5 - Faça um montinho com a massa. Na primeira vez que você afundar a mão na massa, ela estará grudenta e difícil de juntar toda de uma vez só. Continue afundando as mãos na massa até ela parar de grudar nas mãos.
  • Conforme você for trabalhando a massa, vá salpicando um pouco de farinha nela para ir parando de grudar nas suas mãos. Essa farinha extra deve ser incorporada à massa.
  • Outro truque é ir polvilhando as mãos com farinha conforme você for trabalhando a massa.
6 - Fique com as mãos na posição certa. Use a parte mais forte das mãos - a base da palma, aquela parte que fica entre o seu pulso e a altura do dedão. Afunde as mãos ao mesmo tempo na massa, empurrando-a para a frente. É esse processo que ajuda o glúten a se desenvolver. Continue sovando até que a massa fique elástica (um pouco parecida com uma bola de chiclete - você puxa e a massa estica).

7- Sove a massa. Dobre-a no meio e empurre-a para a frente usando a parte mais forte da palma das mãos, até que a massa fique achatada. Dobre-a no meio de novo e empurre-a para a frente novamente. Repita esse processo por 10 minutos ou pelo tempo que a receita pedir.
  • O processo de trabalhar a massa deve ter um ritmo constante. Não sove a massa devagar; ela deve ser trabalhada rapidamente para que não haja um intervalo entre uma sovada e outra. (eu não aguento esse movimento!) 10 minutos sovando é uma tarefa nada fácil do ponto de vista físico - é um exercício e tanto! Caso você se canse no meio do caminho, não deixe a massa desandar - peça a alguém que continue a sova até você recuperar o fôlego.


8 - Fique de olho na textura da massa. No começo ela fica grudenta e cheia de grumos, mas após 10 minutos sendo trabalhada ela fica lisa e uniforme. Ela deve ficar elástica e com a superfície lisa. Se ainda houver grumos, a massa ainda precisa de um pouco mais de sova.


9 - Confira se a massa consegue manter a forma. Modele-a no formato de uma bola e deixe-a cair sobre a mesa. Se ela estiver pronta, ela vai conseguir manter o formato redondo.

10 - Belisque a massa. A sova vai deixando a massa cada vez mais firme. Belisque um pedacinho e sinta a textura. Ela deve lembrar a textura da parte da orelha que você fura para pôr brincos. Outro jeito de conferir se a massa está pronta é cutucando-a de leve. Se ela voltar ao formato original depois de ser cutucada, é porque está no ponto certo.

11 - Termine a receita. A maioria das receitas pede que você deixe a massa crescendo por algumas horas em um ambiente mais quente (mais ou menos 25 graus no mínimo) logo depois de ser trabalhada. Depois que a massa dobrar de tamanho, dependendo da receita pode ser que seja preciso sovar a massa por mais alguns minutos antes de assá-la.

Dicas
  • Se a massa foi sovada até ficar firme, elástica e lisa por fora, o resultado final será um pão crocante por fora e fofinho por dentro.
  • Caso a massa não seja sovada o suficiente, o pão sairá duro, pesado e meio achatado.
  • Para sovar a massa, o melhor é ter as mãos bem secas e em temperatura ambiente.
  • Vá salpicando farinha na massa para que ela não fique tão grudenta e difícil de ser trabalhada. Normalmente as receitas já dão a quantidade certa de farinha, mas às vezes pode ser preciso adicionar um pouco mais. Em todo caso, acrescente a farinha aos poucos para evitar pôr demais - nesse caso, você teria que acrescentar um pouco mais de todos os ingredientes de forma proporcional à receita original. Portanto, adicione farinha sempre com cuidado e apenas o suficiente para que ela desgrude da tigela e das suas mãos.
  • Para limpar a mesa ou outra superfície usada para trabalhar a massa, qualquer objeto parecido com uma régua serve para retirar as crostas que ficam depois.
  • Tenha à mão um relógio para cronometrar o tempo de sova. Se a receita pede 20 minutos, não pare depois de 10. É cansativo, mas se você quer um pão fofinho, é preciso fazer esse esforço.
  • Para facilitar a limpeza, sove a massa usando luvas de látex descartáveis - assim você não fica com as bordas das unhas cheias de farinha e já pode lidar com produtos de limpeza logo depois de colocar a massa no forno.
  • Ao trabalhar a massa, procure esticá-la tomando o cuidado para não rasgá-la.
  • Para massas que não levam fermento na receita, não é necessário ficar sovando a massa por muito tempo. Sove apenas o suficiente para que os ingredientes fiquem bem misturados e a massa fique lisa. Caso contrário, a massa poderá sair dura (ao contrário das receitas de pão que exigem que o glúten se desenvolva por meio da sova intensa, massas que não levam fermento podem ficar duras com o glúten).
  • É muito raro sovar a massa demais usando as mãos. Mas esse problema pode acontecer se você estiver usando uma batedeira.
Acesse o link  e assista os vídeos

21 de agosto de 2014

Algumas marcas antigas e ainda conhecidas, e as suas origens




Recebi por e-mail, não indicando a autoria.

Publico como recebi, sem conferir as informações.

Se alguém encontrar algum erro, favor colocar nos comentários.

Obrigada.
lenibeatriz

15 de agosto de 2014

Volte aos hábitos da vovó e ajude o meio ambiente

Cozinhe mais em casa
Hábitos antigos que você deveria colocar em prática hoje

Nossos avós faziam, você também pode fazer. Confira alguns hábitos do passado que fazem bem para nós e para o meio ambiente
Muitas pessoas acham que o passado é algo chato e sem muita importância; outros, já pensam nele de forma saudosista e até tentam revivê-lo. Odiando ou amando, uma coisa é certa: podemos encontrar muitas dicas valiosas de como viver uma vida mais verde e com mais qualidade seguindo alguns hábitos praticados e aconselhados pelos mais velhos. Vamos a eles:

Ande mais

Nossos avós andavam bem mais do que a gente para fazer coisas simples do dia a dia. Tente fazer as pequenas tarefas sem a necessidade de ir de carro. Caminhar é bom para o corpo e para a mente. Se para você é impossível encaixar esse hábito durante o seu dia, tente depois do expediente. Caminhar melhora a sua pressão arterial, aumenta a sensação de bem-estar e afasta a depressão.

Cozinhe mais em casa

Cozinhar é algo que muitos consideram uma perda de tempo, principalmente tendo todas as facilidades dos serviços de delivery. Entretanto, cozinhar pode ser algo relaxante e prazeroso. Além disso, é um hábito que pode ser saudável, pois você escolhe os ingredientes e controla o modo de preparo. Dê uma chance para o “faça você mesmo”. Procure receitas rápidas e práticas. Transforme esse momento do seu dia em algo especial.

Cuide de um jardim

Tudo bem, muitos não têm espaço para ter um super jardim como nossos avós tinham. Mas uma planta ou flores em um vaso já fazem diferença. Qualquer coisa que você cuide e veja crescer já contribui para o seu bem-estar. O objetivo é ter um hobbieterapêutico, que te ajude a tirar a cabeça do trabalho e dos problemas. A horta vertical, fazendo uso de garrafas PET, é uma boa dica para quem não tem espaço. Fica super bonito e você ainda ajuda o meio ambiente, reutilizando em vez descartar. Clique aquipara saber como fazer.

Escreva cartas

Nós sabemos: faz bastante tempo que você não pega uma caneta e um papel e escreve uma carta pessoal para alguém importante e a coloca no correio. Todos sofremos do mesmo mal: a preguiça de escrever cartas quando se tem e-mail. Nossos avós faziam sempre, eles não tinham escolha. Mas nós temos. Pense que escrever uma carta hoje em dia demonstra atenção. E, convenhamos: é bem mais gostoso receber uma carta no correio do que abrir um e-mail. Além disso, parar para escrever uma carta pode ser algo bem relaxante.

Faça mais uso de remédios naturais

Resfriado, tosse, dor de garganta? Por que não tentar remédios naturais primeiro, como nossos avós? Aqui vão algumas dicas da eCycle:


Cuide de suas roupas. Conserte-as quando necessário

Os dois primeiros pensamento quando vemos um furo em uma blusa é 1) jogar fora; 2) simplesmente não usar mais. Isso é uma perda de dinheiro e também uma agressão ao meio ambiente. Nos tempos dos nossos avós, remendar e reutilizar era muito comum. Adotar esse hábito é algo que tem muito a ver com sustentabilidade, com consumo responsável. Há também espaço para a criatividade. Quando não dá mais para remendar, transformar uma peça em outra ou dar uma outra utilidade a ela também é uma boa solução. Como, por exemplo, meia-calça (clique aqui e veja como)!

E se você estiver inspirado pelo “reutilizar”, por que não fazer compras em um brechó?Damos cinco motivos para você!

Aproveite mais o sol

Moramos em um país tropical. E temos boa parte dos dias ensolarados e com bom tempo para secar a roupa naturalmente, no varal, como nossos avós. Utilizando menos a secadora, diminuímos o gasto com energia. Além de ser bom para o nosso bolso, também é bom para o meio ambiente, pois reduzimos nosso impacto sobre ele. De forma geral, tente ser mais consciente a respeito do usos de seus eletrodomésticos.

Utilize as coisas até que elas se acabem

Nossos avós não trocavam de TV assim como trocamos de camiseta. Eles usavam até todos “pifarem”. Ainda se tentava mandar para o conserto. Assim, quando não tinha mais jeito, comprava-se outra. É esse pensamento que devemos ter. Comprar menos e utilizar até quando puder. Sabemos que é difícil, pois as coisas hoje são feitas para durarem menos. Mas resista. Pelo menos, você não estará contribuindo para aumentar o tamanho de nossos aterros.

Recorra à cozinha na faxina

Sim, é verdade. Nossos avós encontravam na cozinha soluções para a sujeira. Recorriam muitas vezes ao fermento (bicarbonato de sódio) e ao velho conhecido vinagre. O Portal e Cycle dá as dicas:


Esses tipos de produtos agridem muito menos a natureza, e são tão eficientes quanto.

Gostou das dicas da vovó? Então comece a praticá-las e compartilhe sua experiência com a Cycle


Veja também:

11 de agosto de 2014

Afaste a tristeza com a sementinha da abóbora

Quando criança, eu comia essas sementinhas para acabar com os vermes intestinais. 
Não lembro de ter ido ao médico até iniciar no meu primeiro emprego...
Olhar para o sol me deixava de carinha feia...

Os benefícios da semente de abóbora

ou moranga cabotiá
Embora muitos associem a abóbora apenas a sopas de emagrecimento e ao Halloween, tanto a sua polpa como a sua semente oferecem um conjunto de ações muito benéficas ao organismo, indicando que este pode ser um alimento funcional para combater doenças cardíacas, osteoporose, incontinência urinária e até ajudar a estabilizar o humor. Conheça um pouco mais sobre esta semente e como consumi-la, além de uma receitinha de sopa italiana especial!

Melhora o funcionamento da bexiga

O extrato da semente de abóbora ajuda no tratamento da bexiga hiperativa, um problema que provoca vontade súbita de urinar, podendo até ocasionar a perda involuntária de urina. Cientistas japoneses examinaram os efeitos deste extrato sobre a frequência urinária em mulheres na pós-menopausa e em homens com mais de 60 anos, e a conclusão foi animadora. Os participantes experimentaram uma redução significativa da frequência urinária, logrando até uma qualidade de sono superior com a diminuição das idas ao banheiro após 6 semanas de uso contínuo da semente de abóbora.

Combate doenças cardiovasculares

A semente de abóbora é rica em diversas substâncias, como ácidos graxos monoinsaturados e potássio, que ajudam a prevenir e controlar doenças cardiovasculares, auxiliando a reduzir o colesterol e controlar a pressão arterial.

Ajuda no bom funcionamento do intestino

É uma excelente fonte de fibras, o seu consumo regular ajuda a prevenir e a tratar a constipação intestinal, mandando para longe a sensação de desconforto e inchaço provocadas pelo mau funcionamento intestinal. Uma ótima dica para as mulheres é consumir a semente de abóbora em saladas no almoço ou jantar durante o período que antecede à menstruação, em que é comum sofrer com constipação.

Excelente para pele

Tem uma ação antioxidante graças ao seu teor de vitamina E, ou seja, ajuda a combater o envelhecimento precoce da pele!

É um vermífugo natural

Sim, a sua avó tinha razão: a semente de abóbora é um vermífugo natural muito eficiente. Isto porque contém cucurbitacina que, além de vermífugo, é um anti-inflamatório que ajuda no tratamento e na prevenção de infecções urinárias e na próstata.

Afaste a tristeza com esta sementinha

O triptofano é precursor de um dos principais hormônios ligados à sensação de bem-estar: a serotonina. E tanto a abóbora como a sua semente são uma excelente fonte de triptofano, ou seja, ajudam a afastar a tristeza! Isto sem falar que a semente de abóbora é excelente para o sistema imunológico e para a visão!

Agora, depois de ver todos estes benefícios da semente de abóbora que tal aprender a preparar semente de abóbora tostada e uma sopa italiana de abóbora bem leve com semente?


ESPÉCIES DE ABÓBORAS: LEIA AQUI


Tipos e espécies de abóboras


Abóbora, abóbora-amarela, jerimu e jerimum são as designações comuns do fruto da aboboreira, abobreira ou jerimunzeiro (Cucurbita spp.),1 planta hortícola da família das cucurbitáceas, tal como a melancia, o melão, o chuchu e o pepino. As espécies mais conhecidas são: Cucurbita moschata, Cucurbita maxima, Cucurbita pepo. Por serem espécies de polinização cruzada, há grande variedade de formas, cores e textura dos frutos, bem como em outras características das plantas.

A cultura da abóbora está muito difundida no Brasil e em Portugal. Originária da América, era parte substancial da base da alimentação das civilização Olmeca, que, posteriormente foi absorvida pelas civilizações asteca, inca e maia.

A abóbora é um fruto rico em vitamina A que também fornece vitaminas do complexo B, cálcio e fósforo, possui poucas calorias e é de fácil digestão.(Wikipédia)

Alguns tipos deabóboras



Abóbora Moranga

Tem o gosto mais delicado e a consistência menos densa. Sua polpa 

alaranjada é utilizada em refogados e sopas e a sua casca é um ótimo 

recipiente para sopas ou o conhecido Camarão na Moranga.

Abobrinha menina brasileira ou abóbora
de pescoço


É a mais comum no Brasil e a maior, chegando a pesar até 15 kg.

É alaranjada, tem textura fibrosa e é mais úmida. Pode ser utilizada

em pratos doces ou salgados. E, também, consumida crua, ralada

fina, em saladas.

Abóbora Brasileira

Apresenta uma casca verde e amarela. Pode ser consumida antes

de amadurecer, em refogados, quando apresenta uma polpa verde,

ou madura, já com o interior alaranjado.

Abóbora japonesa ou cabotiá
(Kabocha)

Bem mais consistente e menos úmida, esta abóbora tem um

sabor delicado. Ela é ideal e bastante usada principalmente na

preparação de pratos salgados.

Abóbora Paulista

Idêntica à menina brasileira, só que o seu tamanho não passa

de 1,5 kg. Também pode ser usada em sopas, refogados, chutney

e doces variados.

Abóbora do campo

Tem o formato de uma pêra imensa, com numerosas sementes.

A polpa é alaranjada com sabor mais doce e um requisitado ingrediente

para fazer doces, pães e bolos.

Abóbora italiana

É a tão conhecida abobrinha que fica ótima em pratos salgados,

refogada, recheada e grelhada.

Abóbora Espaguete

Também chamada de gília, é uma abóbora com um alaranjado

mais pálido e que, depois de cozida, a sua polpa se separa como se

fosse longos fios de espaguete. Muito usada em pratos salgados.

Clique no link e leia mais. Você também encontrara uma receita

de sopa de abóbora.

Fonte: http://www.dietaemagrecerurgente.com/beneficios

-da-abobora-na-dieta/

10 de agosto de 2014

Antibióticos naturais usados pelas vovós do início século passado


Conheça ervas com propriedades antivirais


Ervas eliminam vírus sem a necessidade de compra de industrializa
O uso da fitoterapia para prevenir ou curar certas doenças existe há milhares de anos e já se mostrou eficiente no combate a doenças virais, como resfriados. O principal "remédio" da fitoterapia são as plantas medicinais, que conseguem desempenhar funções parecidas das usadas em remédios industrializados.

Dê uma olhada nas ervas que têm essas propriedades e aproveite. Caso os sintomas persistam, consulte um médico.

Erva cidreira (veja foto acima) - existem diversas pesquisas sobre os efeitos antivirais da erva cidreira. Ela é prescrita para o aparecimento de herpes e aftas. Além disso, é de fácil cultivo. Também é possível fazer um bom chá da erva;

Alho - uma erva que é antiviral, antibacteriana e antifúngica. Não é cara, e você pode usar toda a erva ou tomar cápsulas. No entanto, muitos especialistas concordam que o alho "desodorizado" pode não ser tão eficaz como a erva inalterada. Para desfrutar dos poderes do alho, você pode ferver alho picado em caldo de galinha e saboreá-lo para evitar gripes e resfriados. Cru, o alho deve ser picado e pode ser polvilhado sobre saladas e misturado em receitas de massa. Somente tenha cuidado com o consumo excessivo de alho cru, porque pode ele causar náuseas ao ser ingerido desta forma;

Gengibre - além de ter uma poderosa ação anti-náusea, o gengibre também é antiviral e alivia as dores nas articulações (veja mais aqui). Os chás feitos da erva fresca são saborosos e picantes por conta de suas características. Mas você pode adoçá-lo com mel para ter benefícios adicionais, como o combate aos germes. O recomendável é que, quando aparecer os primeiros sintomas de um resfriado ou gripe, experimente beber o chá de gengibre várias vezes ao dia. E beba como prevenção, se acha que pode ter sido exposto a qualquer tipo de vírus. É uma erva considerada segura, mas não é recomendada para mulheres grávidas.
Leia a matéria completa em:


Economize e evite pesticidas e fertilizantes ao criar seu próprio jardim de ervas

Variedades como hortelã, manjericão, cebolinha, coentro, orégano, salsa, erva-doce e sálvia são populares e fáceis de serem cultivadas
O que dá aquele saber especial aos alimentos e também pode funcionar para aromatizar a casa? Se você respondeu que são as ervas, acertou.
Costumamos adquirir manjericão, cebolinha salsa e outras variedades em feiras ou mercados. No entanto, é difícil saber a quantidade de agrotóxicos e fertilizantes utilizada pelos fabricantes. Uma alternativa mais saudável, econômica e até terapêutica é fazer o seu próprio jardim de ervas.

Escolha o local e as variedades

Primeiramente, reserve um espaço mínimo de 6m x 4m em seu jardim - esse tamanho é suficiente para a criação de ervas para uma família pequena.
Faça uma lista das variedades que você mais usa na cozinha para determinar quais serão plantadas. As mais populares e que crescem com facilidade são: hortelã, manjericão, cebolinha, coentro, orégano, salsa, erva-doce e sálvia.
Atenção: tome cuidado ao plantar hortelã porque ela tende a ser uma planta agressiva e que, se tiver chance, suas raízes alcançarão as de outras plantas, roubando espaço e nutrientes. Deixe-a mais afastada em seu jardim de ervas.

Sementes ou mudas


Existem duas maneiras de você começar seu jardim de ervas: pelas sementes ou pelas mudas. Se você escolheu coentro ou erva-doce, o mais recomendável é plantar as sementes diretamente no solo. O restante das variedades tem crescimento mais rápido a partir da inserção de mudas em vasos que, depois, terão seus conteúdos transferidos para o jardim.
As ervas crescem melhor em solos arenosos e drenados. Se você não tiver certeza sobre qual a textura do seu solo, faça esse teste rápido: pegue um punhado de solo úmido e aperte-o. Se ele mantiver sua forma, é argiloso; se ele se desfizer em sua mão, é arenoso.
Ervas preferem um solo arenoso e consistente, por isso use mulch (qualquer material que se rompa ao longo do tempo para adicionar mais matéria orgânica ao solo), mas evite os fertilizantes nitrogenados (podem causar diversos problemas - saiba mais aqui).
A seguir estão algumas dicas mais específicas sobre os cuidados que se deve ter para cada tipo de erva:

-Hortelã: precisa de uma quantidade mínima de água e apenas a luz solar adequada;

-Manjericão: Mulch é altamente recomendado para solos em que o manjericão será plantado. A erva gosta de muita água e de luz intensa;

-Cebolinha: necessita de rega mínima. A retirada das flores também é recomendável;

-Coentro: não fertilize seu coentro em excesso porque muito nitrogênio vai atrasar o amadurecimento da semente;

-Orégano: cerca de seis semanas após o plantio do orégano, apare a planta antes das flores aparecerem. Isso fará com que ele fique mais denso e espesso;

-Salsa: só precisa de água constante;

-Erva-doce: cresce melhor em clima frio, por isso, evite adquiri-la se você vive em região de clima muito quente. Ela também prefere grande quantidade de água, então regue-a com frequência.

-Sálvia: regue-a regularmente e retire as hastes mais pesadas da planta.

Ervas como lavanda, alecrim e tomilho crescem melhor em vasos. Essas ervas precisam de solo leve, diferente do jardim de ervas. Considere plantá-las em vasos que podem ser posicionados ao lado do jardim de ervas.

Se você for plantar ervas de baixo crescimento, como erva-doce ou cominho, fique atento com as pragas. As ervas de baixa estatura podem ser atacadas por pulgões e ferrugem.


Confira o vídeo abaixo (em inglês) com uma outra maneira de se começar um jardim de ervas:


Fonte:

6 de agosto de 2014

Azeite Oliva, o santo remédio

Já contei aqui que minha cabeça foi queimada com ferro ( daqueles de brasa) de passar roupa, quando uma garota quis fazer um penteado em mim. Minha cabeça ficou em feridas e minha tia Isa, usou azeite. Fui tratada com Azeite de Oliva.

garrafas de azeite


O azeite de oliva é muito antigo

"Por volta de 3000 anos antes de Cristo, a oliveira já seria cultivada por todo o Crescente Fértil. Sabe-se, no entanto, que, há mais de 6 mil anos, o azeite era usado pelos povos da Mesopotâmia como um protetor do frio e para o enfrentamento das batalhas, ocasiões em que as pessoas se untavam dele.
"A propagação da cultura do azeite pelas demais regiões mediterrânea provavelmente deve ter ocorrido por meio dos fenícios e dos gregos. Assim, já na Grécia antiga se cultivava a oliveira, bem como a vinha. E, desde o século VII a.C., o óleo de oliva começou a ser investigado pelos filósofos, médicos e historiadores da época em razão de suas propriedades benéficas ao ser humano.

Os gregos e os romanos sem dúvida descobriram várias aplicações do azeite, com suas múltiplas utilizações na culinária, como medicamento, unguento ou bálsamo, perfume, combustível para iluminação, lubrificante de alfaias e impermeabilizante de tecidos.

Além disso, o azeite é mencionado em quase todas as religiões da Antiguidade, havendo inúmeras lendas e mitos a respeito. Muitas vezes a oliveira era considerada símbolo de sabedoria, paz, abundância e glória para os povos."

As feridas da minha caça - e eram muitas - foram curadas com esse milagroso "remédio". as ele pode também ser usado para cuidar da pele. Veja como:

Azeite de oliva para cuidar da sua pele

Que o azeite de oliva é uma delícia e deve fazer parte de uma alimentação saudável, todos nós sabemos. Mas, você sabia que pode usar todos os benefícios do azeite de oliva para cuidar da sua pele? 
O Lar Natural conta como fazer!

Propriedades do azeite de oliva para a pele

O azeite de oliva extra virgem é rico em vitaminas A, D, K e E, polifenóis e ômega 3. 

Tem ação antioxidante, anti-inflamatória e hidratante.

Combate os radicais livres e o envelhecimento precoce, atenua as rugas, deixando a pelemais macia, hidratada, elástica e vitalizada. Ótimo para acalmar pele irritada.

Para áreas extremamente ressecadas, como joelhos, calcanhares e cotovelos, o azeite deoliva, além de hidratar, clareia as regiões. Lábios ressecados ou rachados ficam macios e protegidos da ação do sol e do vento.

O azeite de oliva também é ótimo para retirar impurezas da pele, graças à sua propriedade emoliente, e garante uma ótima esfoliação restauradora.

Esfoliação com azeite de oliva extra virgem

Ingredientes: 2 colheres de sopa de açúcar cristal e 1 colher de sopa de azeite de oliva extravirgem.

Modo de fazer: Misture os ingredientes até que fiquem homogêneos e massageie suavemente com movimentos circulares as regiões. Ótimo para pele com pelos encravados!

Veja mais receitas naturais com azeite de oliva:




Fonte